Escrito por 09:52 Estratégias, Marketing Digital

O que é branding e qual sua importância para sua marca?

Se você ainda não tem uma estratégia de branding, não perca mais um minuto. Acompanhe nossas dicas e construa essa poderosa gestão de marca.

O consumidor mudou e você já deve saber disso, né? Poucos são os que escolhem uma marca por preço, por exemplo. Os atributos mais importantes agora são outros, como a experiência multicanal e os valores alinhados ao dele. 

Para se destacar agora, é preciso ir além. Muito mais do que preço, qualidade e prazo de entrega, os consumidores buscam marcas verdadeiras que se comuniquem com os seus ideais e que tenham um posicionamento claro; e é nesse contexto que entender o que é branding e como realizar uma gestão de marca única tornou-se extremamente relevante.

O que é branding?

O branding ou brand management é um conjunto de ações que permitem gerar as estratégias de uma empresa. Quando você cria uma estratégia de branding, a ideia é fazer com que os consumidores lembrem da sua marca de forma positiva, desejada e quase que instintivamente. 

Como as ações são relacionadas diretamente à empresa, as estratégias de branding também alinham os seus propósitos, valores, posicionamento e identidade, de forma que essas características se mostrem naturalmente, conquistando o coração do público de forma genuína. 

Quando falamos de marcas com propósito e posicionamento, você lembra de alguma?

E se você ver um conteúdo roxo em seu feed, associa rapidamente ao Nubank? Ou a frase Amo Muito Tudo Isso? Esses são alguns exemplos de estratégias de branding extremamente bem feitas, você lembra da marca só pelo seu slogan, identidade ou posicionamento. 

Quando você lê: refrigerante de cola, “Just do it”, com certeza associa os exemplos ao nome de algumas marcas, certo? E isso só comprova como a estratégia de branding é fundamental e funciona.

Por que fazer branding?

Imagem de pessoas reunidas em um escritório, com uma mulher na liderança

Depois de entender o que é branding, veja como e por que fazer

Porque as chances de conquistar os consumidores aumentam, consequentemente  a sua relevância também cresce. Como dissemos no início, o consumidor moderno busca marcas de verdade, que mostrem os seus propósitos, que defendam causas e que sejam coerentes com os seus valores.

Marcas de verdade vão além de vender, elas conquistam corações, criam um público fiel, aumentam a sua credibilidade e visibilidade, tornam-se referências e, consequentemente, geram um ticket médio recorrente!

Segundo uma pesquisa realizada pela IBM e divulgada no início de 2020, os consumidores que buscam marcas que estejam de acordo com o propósito da sustentabilidade, por exemplo, estão realmente engajados em encontrar essas empresas, mesmo que seja mais difícil:

  • 70% dos compradores que valorizam o propósito pagam um valor adicional de 35% do custo inicial para compras sustentáveis, como, por exemplo, produtos reciclados ou ecológicos;
  • 57% estão dispostos a mudar seus hábitos de compra para minimizar o impacto ambiental;
  • 79% afirmam ser importante que as marcas forneçam autenticidade garantida, através de certificações, por exemplo;
  • 71% estão dispostos a pagar um valor adicional de 37% a mais em média, para empresas que ofereçam total transparência ao produto.

Marcas que assumem o propósito da sustentabilidade, por exemplo, ganham consumidores engajados com essa luta, que querem mudar os seus hábitos, que buscam empresas que contribuam com esse propósito e que não veem problema em pagar mais por isso.

E não para por aí! Esse é só um exemplo da relevância de ser uma marca de verdade. 

Outro estudo da Accenture, mostra que:

  • 79% dos consumidores brasileiros querem que as empresas se posicionem em relação a assuntos importantes, como: sociedade, cultura, meio ambiente e política;
  • 77% afirmam que suas decisões de compra são impulsionadas por valores éticos e autenticidade das empresas;
  • 34% dos entrevistados já se decepcionaram com a forma de agir de uma empresa e sentiram que a empresa traiu suas crenças.

As pesquisas são diversas e os dados infinitos, mas todos comprovam um fato: o consumidor quer empresas reais, com características, personalidade, propósitos e valores – muito além de apenas um texto em uma área esquecida do site.

Como fazer um trabalho de branding?

Não tem como negar a importância de uma estratégia de branding para uma empresa, né? 

Se você se interessou pelos números que comprovam esse fato, confira agora como estruturar uma estratégia de branding campeã:

Identidade visual

Você sabe o que é branding e como a identidade visual atravessa essa estratégia? Então, continue lendo e fique informado

Um dos pontos que são mais facilmente lembrados pelos consumidores quando uma marca é relevante é a sua identidade visual. Alguns elementos que compõe a identidade visual:

  • Cor: muitas marcas são lembradas apenas pela cor, como: Coca-Cola, Nubank, Itaú e muitas outras, então saber definir as cores que representarão o seu negócio é extremamente importante. Uma boa estratégia é estudar a psicologia das cores para entender qual a cor que reflete os valores da sua marcaCada tom representa um sentimento, uma ação e desperta uma sensação no público, por isso, a importância de entender profundamente qual a cor que mais representa a sua marca;
  • Tipografia: A fonte será cursiva, reta, caixa alta ou baixa? Com ou sem serifa? Esse é outro fator fundamental que ajuda a criar uma identidade visual coerente. Quem não lembra automaticamente da Coca-Cola quando vê a sua fonte? Todos esses pequenos atributos ajudam a construir uma identidade forte e memorável;
  • Slogan: Essa é uma das características da identidade visual mais marcante. Um bom slogan é fundamental, é através dele que as pessoas vão reconhecer a sua marca mundo afora. Em qualquer lugar que você ouvir “Just do It” saberá de qual marca estamos falando. O slogan é uma forma de comunicar a marca além do nome, ou você não sabe de quem estamos falando: “Todo mundo usa”? 

Não deixe de lado a estratégia

Uma estratégia de branding vai além da identidade visual, é preciso saber quem é a marca em seus mínimos detalhes. Siga os passos a seguir e responda às perguntas para entender se você já sabe quem é a sua empresa ou se ainda precisa estruturar melhor a sua personalidade.

  • Personalidade: se a sua marca fosse uma pessoa, quem ela seria? Quais as suas características e atributos? Quais são os valores inegociáveis que ela segue em toda a sua vida? Essas perguntas precisam ser respondidas. Só com todas essas respostas você conseguirá entender quem é a sua marca e qual o propósito dela;
  • Tom de voz: Como ela se comunica com os clientes, fornecedores, funcionários? É formal, objetiva, didática, autêntica? Esse tom de voz é o que vai guiar toda a comunicação da empresa com os diferentes públicos;
  • Canais: Por onde ela se comunica? Esse pilar está alinhado ao anterior: ela é mais didática e se comunica através de e-mail marketing ou é super autêntica, então prefere as redes sociais. Os canais por onde a marca se comunica precisam estar alinhados à sua personalidade e, principalmente, aos canais em que o seu público está;
  • Conteúdo: Agora que você já respondeu às perguntas anteriores, chegamos ao ponto chave da sua estratégia: o que a sua marca vai comunicar? Qual o assunto relevante para o seu negócio e que solucione as dores da sua audiência? Esse, talvez, seja um dos pontos mais fundamentais de toda a estratégia: saber o que falar para atrair e agradar o seu público.

Respondendo essas perguntas você começará a desenhar a persona da sua marca, essa personalidade é quem vai guiar toda a sua estratégia de comunicação, linguagem e identidade.

Sempre faça a gestão da marca!

Imagem de uma mulher na frente de pessoas, segurando um microfone e apresentando dados sobre gestão de marca

Além de saber o que é branding, é preciso se lembrar da gestão de marca! As duas estratégias sempre andam juntas

Agora que você já desenhou a personalidade da sua marca, é preciso entender como colocá-la em prática de forma natural e que atenda todos os seus stakeholders. 

Primeiramente, você precisa entender quem são eles: quem é o seu público? Eles são diferentes nas redes sociais e no e-mail marketing? E os seus funcionários, por onde te acompanham? Você tem um canal de contato destinado aos fornecedores?

Todos esses públicos precisam estar representados em sua estratégia, é importante fazer conteúdo que atenda cada um deles para não se prejudicar em nenhuma frente, por exemplo: os seus clientes gostam da sua marca, mas os processos internos da empresas não são tão bons e já existem processos trabalhistas acontecendo, logo, os seus funcionários estão com uma péssima imagem da empresa – o que prejudicará a gestão da sua marca como um todo.

Gerir uma marca envolve credibilidade, reputação, saúde financeira e a percepção de todos os envolvidos!

Um trabalho de branding só é bem executado quando considera todos esses fatores. Não adianta ter uma identidade visual linda e uma página no Facebook cheia de reclamações ou ainda, um atendimento impecável e diversos processos trabalhistas.

O branding é um conjunto de ações que tornam a sua marca incrível, memorável e desejada, não só pelo público final,  mas para todos os stakeholders que a acompanham.

Por que as pessoas assinam Netflix? Por que as pessoas querem trabalhar lá ? Por que as pessoas querem comprar espaço nela? Porque a estratégia de branding é bem feita, coesa e pensada para atender todos os envolvidos, consegue entender como essa gestão de marca é fundamental para a saúde de uma empresa?

Compartilhe suas percepções com a gente: o que você achou sobre as dicas de branding? 

Qual outra marca você acha que faz uma estratégia incrível e não citamos aqui? Você já estruturou o conceito em sua empresa? Conte-nos!

 

Sharing is caring!

(Visited 88 times, 1 visits today)
Última modificação: 15 de março de 2021
Fechar
shares