Os tipos de varejo: veja quais são, tendências e estratégias!

Os tipos de varejo: veja quais são, tendências e estratégias!

Os tipos de varejo: veja quais são, tendências e estratégias!

Quem trabalha com algum dos tipos de varejo há algum tempo, já deve ter reparado quantas mudanças aconteceram no setor ao longo dos anos. Algumas delas foram tão significativas que fizeram grande parte dos comerciantes se adaptarem a novas formas de comercializar produtos e lidar com seus clientes.

E isso foi mais do que necessário, afinal, a experiência que os clientes tem como uma marca, são tão importantes quanto a qualidade dos produtos que ela oferece.

Mas além da exigência dos clientes por boas experiências, qual outra mudança significativa aconteceu nesse período? A tão falada revolução digital!

Quer saber mais sobre os quatro principais tipos de varejos e como se destacar no cenário online e offline? Continue acompanhando e saiba mais sobre as mudanças, tendências e novidades de cada um:

 

 

Boa leitura!

O que mudou para os diferentes tipos de varejo?

Nos últimos anos, grande parte dos varejistas se renderam ao poder do mundo digital e tornaram essa adaptação uma prioridade. Conforme um estudo da JDA/PWC divulgado em 2018 pelo E-commerce Brasil, que contou com mais de 350 varejistas globais, a transformação digital foi o principal investimento do setor.

Ainda assim, o varejo físico não ficou para trás. Além de ser mais um braço das vendas online, ele ajuda ampliar a divulgação para diversos públicos que acabam passando pelos pontos de venda e também contribuem no complemento do varejo online. Um bom exemplo disso é quando o cliente prefere olhar e experimentar o produto fisicamente antes de comprar.

Tipos de varejo: tendências e estratégias

O comércio é um setor que está sempre em movimento em todos os tipos de varejo. No entanto, no momento atual, como podemos observar as tendências em destaque? Quais setores estão em ascensão e quais enfrentam dificuldades? Como a pandemia mundial afetou o setor varejista? 

Vamos entender melhor o cenário dos 4 principais tipos de varejo:

1. Varejo de moda 

O varejo de moda foi um dos tipos de varejo mais afetados pela pandemia do Covid-19.
O varejo de moda foi um dos tipos de varejo mais afetados pela pandemia do Covid-19.

Entre os tipos de varejo, o de moda envolve diversas modalidades, como: 

  • Lojas de departamento;
  • Lojas de especialidades;
  • Lojas independentes; 
  • Lojas de fábrica e pontas de estoque;
  • Outlets. 

Portanto, o estudo a seguir considera todos esses tópicos, de modo geral: 

Cenário atual

Dentre os 4 principais tipos de varejo, o de moda, provavelmente, é o mais prejudicado com a pandemia. Em todos os países analisados, principalmente levando em consideração o estudo divulgado pelo Google Retail AIT sobre os impactos no varejo, o setor de moda segue em grande desvantagem.

Nesse estudo, podemos analisar os dados referentes a pesquisas no mundo todo. Os países mais afetados até o momento foram a Itália, Estados Unidos, Alemanha, Espanha e Reino Unido, com registros de quedas consideráveis nas buscas online, conforme apresenta o Google Retail AIT. 

No Brasil, segundo um boletim atualizado constantemente pela Cielo, o setor de vestuário, por exemplo, registrou uma queda de -66,1% no período de 01/03 a 09/05/2020.

Ainda, segundo a pesquisa divulgada pelo Sebrae, com 663 empresários de moda:

73% dos entrevistados interromperam seus serviços temporariamente e 4% fecharam as portas definitivamente. A entrevista ainda mostra uma queda de 87,5% no faturamento mensal dos entrevistados. Aproximadamente 17% das empresas já tiveram que optar por demissões no período.

Tendências para o varejo de moda

Se você possui ou se interessa por esse tipo de varejo, sem dúvidas, é hora de encontrar alternativas para se reinventar.

Segundo o estudo divulgado pelo Sebrae comentado anteriormente, 56% dos entrevistados apostaram nos serviços online para continuar faturando no período. Essa se tornou uma ótima opção para comerciantes que não conseguiam encontrar saídas para continuar com seus comércios, durante as medidas de distanciamento social.

Se você ainda não sabe qual caminho seguir, experimente migrar para o comércio online. Estruture um bom site, comece um planejamento de como sua loja online pode funcionar, invista em campanhas de marketing e procure saber mais sobre formas de aumentar o engajamento nas redes sociais.

Lembre-se que a pandemia acabará e que as pessoas continuarão precisando de roupas, então será muito mais “fácil” voltar a ter lucro do que em outros tipos de varejo, como o setor de turismo, por exemplo.

Estratégias para o varejo de moda

Um novo estudo divulgado pela KPMG, mostra que o momento é de ajustar os planos de produção e cadeias de suprimento no varejo de moda. De acordo com a pesquisa,  algumas tendências que podem ajudar os negócios do setor são:

  • Revisão do catálogo de produtos e adequação ao momento atual;
  • Atenção no caixa e gerenciamento de riscos financeiros;
  • Uso mais amplo de diversas plataformas; 

Não recomendamos apenas um marketing integrado, mas que você ajuste suas campanhas para oferecer uma experiência multicanal completa ao seu cliente, principalmente nesse momento.

2. Varejo de cosméticos

Apostar no digital é uma das melhores saídas para os comércios considerados não essenciais durante a pandemia, mas o comércio essencial também pode explorar essa estratégia!
Apostar no digital é uma das melhores saídas para os comércios considerados não essenciais durante a pandemia, mas o comércio essencial também pode explorar essa estratégia!

 

Sem dúvidas, entre os diferentes tipos de varejo, podemos dizer que o setor de cosméticos acabou conseguindo se manter mais que outros por um motivo interessante: produtos de higiene e beleza costumam andar juntos! 

Cenário atual

O álcool em gel foi uma das principais recomendações de profissionais da saúde no combate ao coronavírus, segundo determinação da Anvisa. Ainda assim, isso não quer dizer que o setor de cosméticos não passou por dificuldades. 

Conforme aponta o relatório da Cielo, o varejo de cosméticos sofreu quedas de -2,2% no setor de farmácias e drogarias, enquanto o setor de beleza tem sofrido mais intensamente com a pandemia.

Tendências para o varejo de cosméticos

Além de ter um custo menor em relação a loja física, o comércio digital pode ajudar a ampliar o seu alcance, utilizando marketplaces, por exemplo. 

Mais do que isso, os comerciantes do setor de cosmético estão apostando em boas segmentações e pensando nas melhores maneiras de impactar seus clientes virtualmente. 

Estratégias para o varejo de cosméticos

Procure saber quais as principais dúvidas do seu público sobre a compra de cosméticos online e invista para que o seu negócio contribua na solução das principais dores desse público na compra online. 

Além disso, cuidado para não parecer oportunista no momento, fique atento aos seus preços e condições de compra. A situação é delicada para o varejo de cosméticos, por isso, é fundamental que as suas condições sejam justas para que você continue vendendo.

3. Varejo de eletrônicos

Entre os tipos de varejo, o setor de eletrônicos passa por uma instabilidade.
Entre os tipos de varejo, o setor de eletrônicos passa por uma instabilidade.

O varejo de eletrônicos tem passado por oscilações de busca, assim como nas vendas. Entenda mais:

Cenário atual

De acordo com o estudo de março do Google Retail AIT, podemos ver diferenças nos termos de pesquisas, devido às vastas opções que se encontram dentro do varejo de eletrônicos. 

A busca por smartphones e televisores sofreu quedas em quase todos os países analisados, enquanto a busca por notebooks, por exemplo, registrou aumento de busca na Itália, Brasil e Japão.

Ainda assim, no balanço geral do estudo da Cielo, o varejo de cosméticos está incluso no setor de bens duráveis, junto com móveis e lojas de departamento. Por isso, registrou queda de -36,8% no período.

Tendências para o varejo de eletrônicos 

Como os produtos do varejo de eletrônicos não são considerados essenciais para o momento, é preciso ter cautela com os custos e gerenciamento de recursos. 

Estratégias para o varejo de eletrônicos

Conforme indica o relatório da KPMG, o momento é de avaliar a cartela de produtos disponíveis e tentar optar por fornecedores locais, para evitar os gastos e problemas que os fornecedores internacionais podem estar sofrendo.

Além disso, investir em ofertas atrativas para conquistar o consumidor nesse período tem sido a melhor saída.

4. Varejo alimentício

O varejo alimentício acaba tendo suas vantagens, seja em usos de push notifications em horários estratégicos através dos apps de entrega ou até mesmo pela necessidade do público, que certamente não deixa de comer.
O varejo alimentício acaba tendo suas vantagens, seja em usos de push notifications em horários estratégicos através dos apps de entrega ou até mesmo pela necessidade do público, que certamente não deixa de comer.

Definitivamente o varejo de alimentos foi o que obteve os melhores resultados nesse período. Confira:

Cenário atual

Apesar dos resultados, é preciso analisar com cautela, isso porque o varejo alimentício pode englobar alimentos, bebidas, supermercados e food delivery, ou seja, são muitos setores dentro do varejo alimentício e que registraram índices diferentes.

No estudo do Google Retail AIT, o termo “alimentação” registrou crescimento de pesquisas em países, como Brasil, Alemanha e Japão. A maior das pesquisas foi sobre o preparo de receitas para serem feitos por conta própria. 

No período de 01/03 a 09/05/2020, divulgado pela Cielo, o setor de supermercados e hipermercados registrou um aumento nas vendas de 17,4%. 

Já os empresários do setor de alimentos e bebidas entrevistados pelo Sebrae, informaram números inferiores, isso porque o setor contempla, além dos comércios citados acima, também bares e restaurantes que estão trabalhando apenas por delivery (71%) e, muitas vezes, com horário reduzido (36%).

Tendências para o varejo alimentício 

É importante lembrarmos que a situação é atípica e pode ser um pouco difícil se adaptar a tantas mudanças em tão pouco tempo. No entanto, é preciso encontrar opções viáveis para manter o seu comércio funcionando, independente do tipo de varejo que você atua.

Em todos os casos, apostar no digital é uma das melhores opções para continuar movimentando a economia e seguir firme com o seu negócio. Conheça as inúmeras possibilidades e explore-as!

Estratégias para o varejo alimentício

Para os supermercados que mantém sua operação normal, a estratégia é desenvolver substitutos para as matérias-primas importadas e que haja qualquer tipo de dificuldade em localizar, além de adequar o estoque de produtos essenciais para a população.

Já para os restaurantes e bares, a dica é apostar no digital e trabalhar com delivery. Assim, é possível ajustar os custos e continuar operando. Possivelmente você, que trabalha com varejo alimentício, notará uma considerável diferença no faturamento.

Entretanto, é possível manter o varejo alimentício com bons resultados, operando apenas com entregas ou até mesmo com o sistema drive-thru, que se encontra em alta no momento.

No mundo digital é possível trabalhar com:

  • E-commerce;
  • Aplicativos; 
  • Redes sociais; 
  • E-mail marketing; 
  • SMS
  • Anúncios.

E outras centenas de estratégias que podem se adaptar muito bem ao seu negócio. Portanto, não tenha medo de explorá-las!

Crie um planejamento estratégico de como a sua empresa e o seu tipo de varejo pode se adequar ao mundo online e conte sempre com a gente para sanar suas dúvidas e obter soluções digitais que podem fazer a diferença na experiência digital do seu cliente. 

Estamos com você!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *