Shop.Org: Como a tecnologia vem transformando a experiência das lojas físicas - All iN

Shop.Org: Como a tecnologia vem transformando a experiência das lojas físicas

A All iN e mais de 30 varejistas brasileiros acompanharam na última semana as tendências do mercado de e-commerce em um dos maiores eventos do segmento, o Shop.Org 2018 que reuniu os melhores profissionais de planejamento estratégico, e-commerce, marketing, merchandising, IT, experiência do usuário, operações e análise de dados . Por isso, vamos contar com exclusividade todas as novidades do varejo online e como grandes marcas como Neiman Marcus, Kate Spade, Zappos e CVS estão se destacando dos concorrentes. Quer saber mais? Confira a primeira parte da série Shop.Org: Como a tecnologia vem transformando a experiência das lojas físicas.

“Personalização não é uma feature e sim, estratégia”. Essa foi uma das principais frases que deram norte ao evento deste ano. O desafio era descobrir não só como personalizar a compra online, assim como personalizar a compra na loja física – como é o caso da Neiman Marcus, grande loja de departamentos americana que vende artigos de luxo.

A grande aposta dessas marcas tem sido usar AI (Inteligência Artificial) e VR (Realidade Aumentada) para aumentar o engajamento e as vendas. E foi isso que a Neiman Marcus fez, através de vitrines inteligentes que falam mais sobre o produto sempre que o cliente o toca.

image1image2

Usar essa tecnologia nas lojas, fez com que a Neiman crescesse 38% em vendas. A grande sacada, segundo Scott Emmons, Head de Inovação da marca, é usar o conteúdo que já está disponível: “Já temos isso tudo online. O grande desafio é levar esse conteúdo rico para as lojas”. Essa tecnologia, segundo ele, é capaz de alcançar todos os clientes da loja: “Afinal, apps ou RFID não conseguem chegar em todo mundo, mas a única coisa que todos os consumidores têm em comum é que eles tocam nos produtos e apresentar um conteúdo nessa hora é crucial. Afinal, ele não precisa fazer nada para ver aquilo”, finaliza.

Outra estratégia é a de realidade aumentada, usada através do “Smart Mirror”, outra tendência usada pela loja de departamentos. Com ela, o cliente consegue se ver usando um óculos, maquiagem ou roupa e ainda pode comparar os looks lado a lado, facilitando a escolha. No exemplo abaixo, a consumidora é capaz de provar um vestido da cor vermelha e facilmente provar como ficaria com as outras cores disponíveis para o item.

image3image4

No setor de maquiagens, as possibilidades são ainda maiores. Usando a tecnologia do Smart Mirror, a consumidora pode ser filmada enquanto é maquiada por um profissional, escolher os produtos usados na make e ainda, recebe os vídeos no seu e-mail para repetir o tutorial em casa.

image5

Outro desafio além de levar tecnologia para loja física é levar personalização para o e-commerce, ainda mais quando a marca tem uma experiência incrível na loja, como é o caso da Kate Spade, loja de bolsas e acessórios femininos.  No meio da dúvida de como fazer as clientes se sentirem únicas, a marca encontrou uma solução com uma tecnologia de Online-to-Offline conversation.

Como funciona? A plataforma permite que a cliente da Kate Spade realize agendamento de alguns eventos que a levem até a loja, garantindo que ela terá a experiência completa da marca. A consumidora pode escolher entre agendar 30 min para escolher o presente perfeito, tendo a ajuda de uma vendedora para comprar o item ideal, assim como a opção do “styling session”, onde a cliente pode receber dicas de como combinar bolsas, sapatos e acessórios e ainda. A última opção é a sessão “make it mine session”, onde é possível até customizar bolsas.

image6

O melhor é que tudo isso também está disponível para o vendedor, que pode ver os agendamentos do dia e identificar se aquela cliente teve algum histórico de compras recentes, o que também gera recomendações de novos itens para sugestão. Desde que foi inaugurada, a tecnologia já realizou mais de 35.000 agendamentos, tendo um engajamento de 80% dos vendedores online na plataforma e deixando o AOV (Average Order Value) acima dos $400.

Tanto a Neiman Marcus quanto a Kate Spade se atentaram ao que os clientes procuram: personalização, eles quebraram a padronização industrial para trazer valor ao cliente e fidelizá-lo. O uso da tecnologia permitiu que a experiência do cliente com a marca e a personalização não ficasse mais apenas no mercado de luxo, mas fosse viável para marcas de departamento e não influenciasse negativamente no valor dos produtos.

Gostou das dicas? Já pensou em fazer algo assim na sua loja física? Continue acompanhando nossos artigos e descubra mais novidades do Shop.Org no nosso texto da próxima semana. Esperamos por você!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *