Escrito por 10:59 Entregabilidade

Entregabilidade no Gmail

Dentre os grandes provedores de e-mail que existem atualmente, o Gmail é o que tem chamado mais atenção entre os usuários. Assim como praticamente todos os “produtos” Google, com um design atraente e sistema operacional intuitivo, o Gmail, que teve sua primeira versão beta lançada em 2006, já ultrapassou o gigante Yahoo e hoje conta com 278 milhões de usuários.

Dentre os grandes provedores de e-mail que existem atualmente, o Gmail é o que tem chamado mais atenção entre os usuários. Assim como praticamente todos os “produtos” Google, com um design atraente e sistema operacional intuitivo, o Gmail, que teve sua primeira versão beta lançada em 2006, já ultrapassou o gigante Yahoo e hoje conta com 278 milhões de usuários. O Gmail só fica atrás do Hotmail. O já tradicional e-mail da Microsoft possui 324 milhões de usuários em todo o mundo.


Para nós, profissionais de e-mail marketing, o que chama atenção é a velocidade com o a qual o Gmail tem crescido e como sua receptividade pode afetar os resultados de entrega das campanhas em massa. Para isso, listamos aqui algumas dicas estratégicas que devem ser seguidas para quem  deseja alcançar a caixa de entrada dos usuários do Gmail.
1.  Reconhecimento de Caracteres: Como a maioria das campanhas classificadas como Spam pelos usuários tem seus HMTLs baseados em imagens, o Gmail utiliza um sistema de reconhecimento de caracteres óticos, o chamado OCR. Este sistema é baseado em algoritmos que conseguem classificar os resultados de pesquisas feitas no Google para reconhecer as imagens que indicam que um e-mail é um spam. Por isso, é importante que as campanhas de e-mail marketing mesclem as imagens com texto. Um HTML com texto tem menos chance de ser classificado como Spam do que um feito apenas de imagens.
2.  Protocolos de autenticação: Assim como a maioria dos provedores, o Gmail suporta inúmeros sistemas de autenticação, incluindo o SPF (Sender Policy Framework), DomainKeys e DKIM (DomainKeys Identified Mail),  necessários para que o provedor comprove a origem do e-mail. A utilização destes protocolos de autenticação já é condição “sine-qua-non” para quem deseja entregar na caixa de entrada do Gmail.
3.  Report Spam “Manual”: Para criar suas “blacklists” internas, o Gmail se baseia no número de vezes que os usuários classificam as mensagens de um mesmo remetente como Spam. Ou seja, toda vez que um usuário utiliza o botão “Denunciar Spam”, os domínios do remetente dessa mensagem tem sua reputação rebaixada, assim, suas campanhas passam a ser encaminhadas diretamente para a caixa de spam. Então, a recomendação é enviar e-mails somente para quem de fato aceitou e demonstrou interesse. Desta forma, as chances desse usuário denunciar sua mensagem são muito menores.
Seguindo a tendência adotada pela maioria dos provedores, os filtros de Spam do Gmail estão se baseando cada vez mais no engajamento dos usuários, ou seja, as mensagens são classificadas de acordo com o tipo de resposta que geram nos usuários que as recebem, sendo assim, fique de olho no comportamento dos usuários de sua base de e-mails!
Por Bárbara Gengo, Analista de Comunicação da All In

Sharing is caring!

(Visited 20 times, 1 visits today)
Última modificação: 30 de outubro de 2020
Fechar
shares