A importância da coleta de dados para um marketing inteligente

A importância da coleta de dados para um marketing inteligente

A importância da coleta de dados para um marketing inteligente

Todo tipo de empresa, sejam as que vendem para outras empresas (B2B) ou para o consumidor final (B2C), encontra sua própria forma de fazer marketing e de vender seus produtos. 

Independente de quem seja o seu cliente, seu negócio vai se basear nele para estratégias de divulgação, atração e retenção de consumidores. Mas como fazer isso de uma maneira inteligente? 

A resposta mais simples para essa pergunta é: por meio de coleta de dados.

Coletar dados sobre seu consumidor, os seus hábitos de consumo, comportamento de compra e outros aspectos é uma forma de garantir algumas vantagens competitivas essenciais. 

Neste texto, você vai saber por que a coleta de dados é tão importante para o marketing e vai aprender a desenvolver estratégias mais eficazes por meio de informações concretas.

Confira!

Por que a coleta de dados é essencial no marketing?

Quando se trata de medir o sucesso de qualquer estratégia de marketing, primeiro é preciso levar em consideração alguns dos indicadores mais importantes para medir o crescimento de uma empresa, como os resultados de área, de vendas e da empresa como um todo.

Mas por outro lado, esses números explicam quem está comprando seu produto? Eles explicam quando e por que você ganha ou perde clientes? Ajudam a evidenciar a satisfação ou insatisfação do consumidor?

Na verdade, tudo isso só pode ser alcançado através da análise eficaz de dados coletados para o marketing.

A coleta de dados permite armazenar e analisar informações importantes sobre seu público-alvo e sobre clientes existentes.
A coleta de dados permite armazenar e analisar informações importantes sobre seu público-alvo e sobre clientes existentes.

A coleta dessas informações sobre o público-alvo pode economizar o dinheiro da sua empresa, criando um banco de dados de clientes para futuros esforços de marketing e relacionamento.

Com os dados certos, você não precisará de uma estratégia ampla e agressiva para alcançar potenciais consumidores. A coleta de dados é essencial para o marketing, porque, com ela, você pode concentrar investimentos naqueles com maior propensão à conversão, conforme você aprendeu analisando os dados certos.

Quais dados coletar e para que usá-los?

 

Coletar dados é importante, mas quais informações precisamos exatamente? Digamos que a coleta de dados pode cobrir vários aspectos do comportamento do seu consumidor. 

Pedir dados de contato para quem interage com sua marca é o básico e isso pode ser feito através de:

  • Assinaturas de newsletter;
  • Cadastros no seu site, plataforma ou e-commerce;
  • Download de e-books;
  • Formulários de contato.

Além das informações pessoais que o consumidor oferece, seu comportamento e interações também resulta em insights muito importantes.

Se você tem um site, um e-commerce, um blog ou mesmo um aplicativo, é fundamental saber como o usuário navega por eles. É preciso que você saiba:

  • Quais são as páginas mais acessadas?
  • Onde o usuário clica?
  • Quanto tempo passa nas suas páginas?
  • Quais dispositivos e como o usuário os utiliza para chegar até você? 

Tudo isso vai se transformar em dados que podem tornar seu marketing mais inteligente. 

Se o seu cliente não está clicando nas ofertas do seu site, é preciso saber disso e tomar medidas como mudar o texto ou o banner que ele visualiza para algo que impacte de forma positiva, gerando mais engajamento.

Da mesma forma, se o e-mail marketing não é aberto, você vai precisar mudar a chamada (ou call to action) para que o consumidor engaje mais com o seu conteúdo. 

Para impulsionar estratégias assertivamente, é preciso coletar, analisar e estudar os dados.
Para impulsionar estratégias assertivamente, é preciso coletar, analisar e estudar os dados.

Quando uma empresa solicita um endereço de e-mail ou dado pessoal, é improvável que os consumidores o façam, a menos que haja alguma contrapartida no pedido.

Por isso, ofereça algum benefício ao consumidor. Lembrando que é preciso ter muita clareza sobre essas ações, uma vez que você estará recebendo dados valiosos em troca disso. 

Exemplos de benefícios de incentivo podem incluir: 

  • Cupons;
  • Descontos exclusivos;
  • Ofertas especiais;
     
  • Conteúdos educativos;
  • Um trial gratuito para experimentar o seu serviço ou uma amostra, em caso de produtos;

A coleta de dados para fins de marketing pode acontecer de diversas formas – utilizando de uma infinidade de dados vindos de fontes igualmente variadas. 

Fontes de dados para o marketing

Alguns exemplos para uma coleta de dados efetiva são:

Formulários e landing pages

Os formulários são a forma mais simples de pedir informações pessoais do seu consumidor. Uma landing page, com uma oferta de marketing – como um ebook, é uma forma comum de captar informações como nome, e-mail, telefone e demais interesses. 

Formulários também podem ser incluídos como banner no seu blog, no e-commerce e até nas redes sociais. 

Pesquisas de mercado e opinião

A pesquisa de opinião é outro método de coleta de informações para um marketing mais inteligente. As informações são coletadas por meio de questionários, principalmente com base em experiências individuais ou em grupo sobre um tema específico. 

Existem várias maneiras pelas quais essas informações podem ser coletadas. A principal delas é totalmente online. Você pode criar suas pesquisas em plataformas gratuitas ou pagas, compartilhar com seus contatos em uma campanha de e-mail, gerar um link, ou até contratar empresas que coletam os dados por você.

Google Analytics

O Analytics é um grande aliado do profissional que quer um marketing mais inteligente. É por lá que você acessa, gratuitamente, todos os dados de navegação do seu consumidor no seu site, e-commerce ou blog. 

Os dados do Google Analytics ajudam a mapear quem é o seu consumidor e todo o comportamento dele nas suas páginas.

Redes sociais

As redes sociais da sua empresa podem contar muito sobre quem é o seu consumidor. Além das interações dele nos conteúdos publicados, redes como o Facebook, LinkedIn e Instagram geram relatórios sobre o perfil da sua base que ajudam a compreender com quem você está conversando. 

A partir daí, é mais uma chance para refinar sua estratégia de conteúdo e de relacionamento com o cliente.

Marketing Cloud

O Marketing Cloud usa de Cloud Computing, ou armazenamento na nuvem, em associação com estratégias utilizadas na área de Marketing. Dessa forma, o termo representa um conjunto de soluções, ferramentas, softwares, plataformas e tecnologias voltadas a automação de Marketing.

Por meio de uma série de serviços, o Marketing Cloud permite coletar, armazenar e centralizar todos os dados da sua operação. Assim, fica muito mais fácil integrar esses dados para a utilização em campanhas mais eficientes de marketing.

Um marketing inteligente precisa ser analítico. Para isso, a coleta de dados será sempre o primeiro passo.
Um marketing inteligente precisa ser analítico. Para isso, a coleta de dados será sempre o primeiro passo.

Quanto ao uso desses dados, é possível: 

1. Melhorar a experiência do cliente

Para muitas empresas, os dados do consumidor oferecem uma maneira de entender e atender melhor às demandas de seus clientes.

Ao analisar o comportamento do cliente, bem como uma vasta quantidade de análises, opiniões e comentários, as empresas podem modificar com agilidade sua relação, às ofertas de marketing e até os seus produtos e serviços para se adequar melhor ao mercado atual.

2. Refinar a estratégia de marketing

Dados contextualizados podem ajudar as empresas a entender como os consumidores estão se engajando e respondendo às suas campanhas de marketing. 

A partir daí, fica mais fácil ajustar cada ação e estratégia de acordo com o comportamento do cliente. Esse uso preditivo dos dados fornece às empresas uma ideia do que os consumidores desejam com base no que eles já fizeram.

A partir dos dados sobre seu consumidor, é possível engajá-lo mais facilmente através de campanhas de e-mail marketing, por exemplo. Os dados de contato servirão para falar com ele, ao mesmo tempo que dados de interação e comportamento ajudam a entender melhor como falar com o cliente. 

3. Transformando dados em lucro

As empresas que capturam dados também lucram com isso. Para empresas que estão capturando grandes quantidades de dados, isso representa uma oportunidade para um novo fluxo de receita.

Com os dados certos, você conhece melhor o seu consumidor e seu comportamento. A partir disso, consegue gerar insights para executar melhores ações e campanhas de marketing. O resultado, então, é o aumento nas vendas e, consequentemente, na satisfação do consumidor.

4. Usando dados para proteger dados

Algumas empresas ainda usam os dados do consumidor como um meio de proteger informações confidenciais. Por exemplo, instituições bancárias às vezes usam dados de reconhecimento de voz para autorizar um usuário a acessar informações financeiras ou protegê-los contra tentativas de roubo ou fraude de informações.

Esses sistemas funcionam casando dados da interação de um cliente e algoritmos de aprendizado de máquina que podem identificar e sinalizar tentativas potencialmente fraudulentas de acessar a conta de um cliente. Isso retira algumas das suposições e erros humanos da captura de um golpe.

À medida que as tecnologias de captura e análise de dados se tornam mais sofisticadas, as empresas encontrarão maneiras novas e mais eficazes de coletar e contextualizar dados sobre tudo, inclusive os consumidores.

Dicas para uma coleta de dados segura

A coleta de dados é importante, traz uma série de benefícios mas, ao mesmo tempo, precisa ser feita com cuidado e garantir toda a segurança ao consumidor.

Também é importante ser transparente sobre o que você fará esses dados. Um simples “Não compartilharemos suas informações” ou “Prometemos enviar apenas atualizações importantes” ajudará muito a garantir que o consumidor preencha um formulário ou forneça um endereço de email.

Além disso, com a vigência da Lei Geral de Proteção aos Dados, a LGPD, será necessário que o processo de coleta de dados passe por uma série de adequações.

Coletando dados do jeito certo na era da LGPD

Os regulamentos de privacidade de dados, como a LGPD, estão mudando a maneira como as empresas capturam, armazenam, compartilham e analisam dados do consumidor. 

Ainda assim, é importante ressaltar que o surgimento desse tipo de lei não significa que a coleta de dados por empresas vai desaparecer, mas mudará de forma à medida que as empresas se adaptarem às novas regulamentações.

Na prática, a LGPD determina que todos os dados pessoais e identificáveis, como nome, idade, estado civil só podem ser coletados mediante o consentimento do usuário

Por isso, é preciso deixar claro ao seu consumidor que, ao fornecer seus dados com consentimento, ele também estará permitindo que eles sejam armazenados e utilizados para fins que você deve explicar no momento da coleta.

Gostou de saber mais sobre a coleta de dados? 

Com a LGPD será preciso se atualizar sempre sobre o assunto. Para acompanhar mais conteúdos como esse, acompanhe o nosso Facebook, Twitter e Linkedin e tenha acesso a conteúdos completos para tornar o seu marketing mais inteligente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *