Você conhece os diferentes tipos de comércio eletrônico?

Você conhece os diferentes tipos de comércio eletrônico?

Como usar o comércio eletrônico nos tipos de negócio?
Você conhece os diferentes tipos de comércio eletrônico?

Os comércios eletrônicos ou e-commerces (como são chamados no meio do marketing), revolucionaram o modo de comprar dos indivíduos e, principalmente, dos usuários da internet.

Atualmente, a grande maioria dos brasileiros preferem fazer suas compras online. Para se ter uma ideia da dimensão, segundo pesquisas, em 2018, os comércios eletrônicos faturaram R$ 53,2 bilhões – 12% a mais do que no ano anterior e, em 2019, a previsão é que atinja os R$ 61,2 bilhões.

Segundo uma pesquisa realizada pelo Google, a expectativa é que o comércio eletrônico dobre sua participação no varejo até 2021, chegando a mais de R$ 85 bilhões, o que prevê, em média, um crescimento de 12,4% ao ano.

A população já adotou o sistema de compra online, seja por sites ou aplicativos e muitas empresas já migraram ou acrescentaram o comércio eletrônico em sua estratégia. Mas, e a sua marca, está pronta para acompanhar a revolução do modo de compra e partir para o comércio online?

Para você entrar nessa jornada, seguir a transformação e manter-se atualizado, de acordo com as necessidades dos consumidores, é preciso entender que existem alguns tipos de comércios eletrônicos, que variam de acordo com o seu tipo de negócio.

Tipos de negócio e a aplicação do comércio eletrônico

Neste conteúdo, vamos tratar dos tipos de negócio e qual estratégia de comércio eletrônico melhor se encaixa para cada um. Confira abaixo!

B2B (Business-to-Business)

O comércio B2B refere-se às transações feitas entre empresas (ou seja, comprador e vendedor são comércios).

Nesse caso, na maioria das vezes, as compras são feitas em grandes quantidades. Caso o seu negócio seja B2B, o ideal é que você fique sempre atento sobre seus preços e condições, principalmente no comércio eletrônico.

Assim, você deixa bem exemplificado como funcionam os seus valores, frete e prazos, para não perder grandes vendas e nem prejudicar a imagem da sua marca perante seus consumidores, que podem ser pequenas ou grandes empresas.

B2C (Business-to-Consumer)

Esse é um dos comércios eletrônicos mais famosos, onde o varejo atua normalmente, ou seja, empresas vendem para consumidores (pessoas físicas).

Quando você acessa um site para comprar um tênis, por exemplo, esse é um comércio B2C, uma empresa está vendendo diretamente para você, sem intermediários.

Essa estratégia é bastante usada quando o comerciante tem lojas físicas e integra o comércio eletrônico a sua estratégia, ou, quando o comerciante quer atingir diretamente o seu público final, sendo ele o consumidor.

O B2C é um dos modelos de negócios mais aderido pelos comerciantes, entretanto, é preciso avaliar o seu produto, suas necessidades e, principalmente, quem é o seu público para optar por esse modelo.

C2C (Consumer-to-Consumer)

Consumidores vendem para consumidores: isso mesmo, esse é o C2C!

As transações podem ser feitas através de plataformas terceirizadas, entre pessoas físicas ou, até mesmo, através de marketplaces, que falaremos mais a frente.

O comércio C2C tem sido bastante utilizado atualmente, visando o empreendedorismo e a autonomia dos comerciantes, que podem oferecer desde produtos até serviços freelancers, por exemplo.

Ao escolher o C2C, certifique-se que você, pessoa física, tem produtos atrativos e diferenciados para conquistar seus clientes e, principalmente, fique atento às questões legais para que não haja nenhum problema durante o processo de compra e venda dos seus clientes.

C2B (Consumer-to-Business)

Diferente do que estamos acostumados a ver, o comércio C2B trabalha com pessoas físicas vendendo para empresas.

Aqui podemos exemplificar os fotógrafos, freelancers e profissionais de design que oferecem seus serviços a empresas privadas.

Lembre-se que você, como pessoa física, precisa se diferenciar dentro do seu mercado para atrair as empresas que procuram o seu tipo de serviço e/ou produto. Por isso, não esqueça de registrar todas as suas transações para manter um relacionamento saudável com o seu comprador.

B2A (Business-to-Administration)

Saindo um pouco do convencional, o B2A refere-se a empresas que vendem para a administração pública, ou seja, está mais ligado a serviços fiscais, segurança social e documentos legais.

Apesar de uma serviço extremamente específico, a prática do B2A tem crescido consideravelmente nos últimos anos.

C2A (Consumer-to-Administration)

O modelo consumidor – administração, C2A, refere-se também a administração pública, bem como o B2A. Ambos estão conectados a ideia de facilitar a usabilidade dos serviços que o governo presta à população. Aqui podemos usar de exemplo as transações eletrônicas que envolvem educação, segurança social, impostos e etc.

Esses são apenas alguns dos tipos de comércio eletrônico que estão fazendo sucesso entre os consumidores, sejam eles pessoas físicas ou empresas, e facilitando o modelo de compra de todo o tipo de produto e serviço.

Marketplaces e o comércio eletrônico

O comércio eletrônico é uma grande oportunidade para que as empresas de todos os tipos otimizem as suas vendas.
O comércio eletrônico é uma grande oportunidade para que as empresas de todos os tipos otimizem as suas vendalando em sucesso e ascensão, não poderíamos deixar de comentar sobre o marketplace.

Esse modelo de negócio chegou ao Brasil em 2012 e ficou famoso por permitir que o consumidor encontre várias opções de produtos no mesmo lugar, como se fosse um shopping center ou, como diz o próprio nome, um mercado.

O marketplace é o modelo de negócio de grandes varejistas brasileiros e funciona como um “espaço” para vender os mais diversos produtos. Mas, como assim?

Vamos a um exemplo: sabe quando você entra em um site e encontra desde tênis a produtos de bebê ou itens de cozinha? Esse é o mercado que estamos falando, denominado de marketplace.

Benefícios do Marketplace

Esse tipo de comércio eletrônico, além de ser sucesso entre todos os tipos, têm bastante vantagens. Confira os principais benefícios desse modelo: 

Aumento das vendas

O marketplace agrega, em média, 40 milhões de potenciais compradores, ou seja, as suas chances de vender aumentam consideravelmente com tantas oportunidades de conversão.

A sua marca será, com certeza, mais vista, já que está dentro de um site que possui muitos acessos. Mas, lembre-se: o marketplace faz uma parte do trabalho, para converter é preciso investir em boas estratégias de marketing e optar pelos melhores canais para falar com o seu futuro cliente.

Visibilidade

Como falamos, os marketplaces têm muitas visitas, então, é uma chance a mais para sua marca aparecer e mostrar seus benefícios.

Claro que existem muitas marcas presentes ali, por isso, é importante ter uma boa estratégia de vendas e investir no marketing de relacionamento para se diferenciar e conquistar os visitantes.

ROI (Return Of Investment)

Em relação ao retorno do seu investimento, as mudanças são consideráveis. Você investe menos já que têm uma plataforma que trabalha com valores acordados para divulgar o seu produto e, consequentemente, quando converte, tem um retorno maior do que investiu.

Amplitude

Você alcança pessoas que, até então, poderiam não ser o seu público. O público que o marketplace agrega é muito vasto, o que te sugere novas oportunidades de vendas e, quem sabe, novas opções de produtos para que o seu comércio eletrônico atenda uma nova demanda.

Esses são alguns benefícios de trabalhar com o marketplace, entretanto, também é importante saber sobre as desvantagens, como: a dependência da plataforma e o enfraquecimento da imagem da sua marca, por exemplo.

Por isso, a dica é pesquisar, medir as vantagens e desvantagens, fazer alguns testes, estudar o público, as necessidades dele e escolher qual tipo de comércio eletrônico atende melhor o seu negócio.

E-mail marketing para os comércios eletrônicos?

photo-1556740714-a8395b3bf30f

O e-mail marketing é uma ótima estratégia para comércio eletrônico quando usada em conjunto com outras táticas.

Agora que você já conhece algumas das melhores opções de comércio eletrônico, é fundamental entender que o que falamos até aqui é apenas o modelo de negócio que atenderá o seu e-commerce. Para ter visitas, tornar a sua marca conhecida e converter, é preciso ir além e investir em boas estratégias digitais, como trabalhar com e-mail marketing, por exemplo.

Utilizar o e-mail marketing como um dos canais de contato com os seus clientes será benéfico para qualquer tipo de comércio eletrônico que você escolher. A abordagem permite que você seja lembrado, esteja em contato direto com o seu lead, divulgue sua marca e seus produtos e, melhor ainda, venda de um jeito mais fácil e prático para deixar o seu cliente ainda mais confortável e seguro no processo de compra.

O e-mail marketing é uma das opções para alavancar suas vendas dentro do seu comércio eletrônico. Sabendo disso, estruturamos algumas dicas sobre essa estratégia e as melhores opções para o planejamento do seu comércio eletrônico:

E-mails Transacionais

Você pode (e deve) trabalhar com e-mails transacionais – aqueles e-mails que são enviados a cada ação que o seu cliente tem dentro do seu comércio eletrônico, como: e-mail de boas-vindas, confirmação de pedido, agradecimento pela compra, etc.

Marketing Integrado

É uma ótima opção trabalhar com marketing integrado, ou seja, sincronizar diversas ferramentas de marketing para atingir o seu cliente com uma comunicação coesa e interessante. Bem como, optar pelo marketing cloud e utilizar múltiplos canais de contato, como: e-mail marketing, sms, landing page, etc.

Foco no ROI

Quando falamos em comércio eletrônico, precisamos saber quanto investimos e quanto ganhamos. Utilizando o e-mail marketing como estratégia, por exemplo, você consegue medir facilmente esse índice e acompanhar a performance do seu ROI regularmente, de acordo com os números que recebe através das ferramentas de e-mail marketing.

E então, curtiu as dicas? Para colocá-las em prática, você deve analisar o seu negócio, observar o seu público, entender quais são as necessidades dele, fazer testes e buscar a melhor alternativa para atingi-lo de forma assertiva e eficaz.

O e-mail marketing é apenas uma das ferramentas do seu planejamento digital que permite o contato direto com o seu lead. Por isso, adicione-o em suas estratégias e não deixe de procurar e descobrir novas alternativas para agradar o seu público e tornar o processo de compra ainda mais seguro e confortável.

Esperamos ter te ajudado a entender melhor como o comércio eletrônico atua nos diferentes tipos de negócio e que agora seja mais fácil escolher o que mais atende o seu negócio. Lembre-se: é fundamental que o modelo escolhido seja eficaz para a sua marca e, principalmente, agradável, fácil e funcional para o seu cliente, independente de quem seja ele.

Conte sempre com a gente para tirar dúvidas e encontrar as melhores soluções de marketing, conheça mais do nossa plataforma.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *